A bordo de seu carrão importado, você leva um amigo para conhecer a sede da sua empresa.

Ao chegar, ele se depara com uma sala ampla, luxuosa e preparada para fornecer todas as informações necessárias à sua tomada de decisão.

Em cima da mesa, o catálogo virtual o convida a conhecer os produtos da empresa em suas dimensões reais.

Ao clicar em cada um deles, é possível obter todas as suas informações técnicas e assistir ao vídeo da nutricionista explicando seus principais benefícios.

Mais adiante, na sala de reunião, o próprio diretor comercial o recebe para apresentar o plano de negócios e fazer as simulações do quanto é possível ganhar.

O tour segue para a sala do presidente, que o cumprimenta com entusiasmo, chama-o pelo nome e transmite uma mensagem em vídeo mostrando como a empresa tem mudado a vida de milhares de pessoas.

Seu amigo está impressionado.

De volta à sala  de reunião, você conduz o fechamento e envia o link para o pagamento do kit inicial.

Tudo isso em pouco mais de 20 minutos, de um jeito leve e divertido – e sem precisar levantar do sofá da sua casa.

Loucura? Essa será apenas uma das várias possibilidades proporcionadas pela popularização do metaverso, um ambiente virtual que simula a vida real.

Em quanto tempo esse tipo de experiência deve virar realidade?

Na verdade, este mundo virtual que cria uma nova realidade já existe em plataformas de jogos como Roblox, Minecraft e Fortnite.

Mas com o anúncio de que o Facebook criará seu próprio metaverso, a perspectiva é de que este novo universo se popularize para as mais 4,66 bilhões de pessoas com acesso à internet no mundo.

O Facebook já investiu mais de US$ 10 bilhões no metaverso em 2021 e conta com quase 10.000 funcionários trabalhando em dispositivos de realidade aumentada e realidade virtual.

É por tudo isso que o fundador da Microsoft Bill Gates acredita que, em 2024, todas as reuniões de negócios acontecerão dentro do metaverso.

Você já pode sentir o “gostinho” de como vai funcionar o metaverso

Por meio da realidade virtual, empresas do mercado tradicional estão apostando forte em iniciativas para transformar a experiência do cliente online.

No Espaço Consul, por exemplo, você tem uma praça virtual com três casas que exploram diferentes estilos de vida: a casa inteligente, a tecnológica e a cativante.

Ao entrar em cada uma delas, o visitante pode interagir com os produtos, conferir vídeos, obter informações e até mesmo conhecer os arquitetos.

Nesta simulação, é possível entender também como funcionarão os showrooms virtuais das empresas dentro do metaverso:

O que mudará para as empresas de Multinível

Se quiserem se manter competitivas em relação ao mercado tradicional, as empresas de Multinível precisarão investir em experiências imersivas como essa relatada no início do artigo.

No futuro próximo, a melhor empresa não será a que tem o melhor produto ou o plano de compensação mais generoso, mas sim a que souber criar o ambiente virtual mais atrativo dentro do metaverso.

É a quinta onda do Multinível se formando em alta velocidade, atraindo jovens e adultos de todas as gerações e criando novas oportunidades para quem souber se posicionar neste novo mundo.

Os fundamentos do Multinível seguirão firmes, mas a gamificação da vida mudará a forma como nos relacionaremos para sempre daqui em diante.

Fábio Guedes é jornalista e atua desde 2017 na Venda Direta e Marketing Multinível, construindo estratégias de conteúdo e comunicação institucional para grandes empresas e lideranças do mercado. Atualmente, presta consultoria de Comunicação e Marketing para empresas de Venda Direta, MMN e Franchising e é editor-chefe do portal upline.news

Deixe um comentário

© 2022 Todos os Direitos Reservados a Upline.News

Assine nossa Newsletter

Receba em primeiro lugar as novidades e conteúdos exclusivos do Upline.News



This will close in 0 seconds